Hosting por dinahosting.

Outra nova crónica em 2018!

Voltamos com outra nova crónica!

Regressamos das férias do Natal carregadas de energia e ganas de ver, contar e viver. E também ganas de conhecer, por exemplo, às novas crianças que nos acompanham na Semente. Bem-vindas Rosalía e Mateu!

Estes meses estão vindo carregados de água, e ainda que é incómoda para brincar fora, também nos dá oportunidades de aprendizagem. Observamos que o chao húmido é quem de mostrar-nos o rastro de animais que vivem perto da Semente. As excursões ao monte foram várias ao longo deste tempo, e olhamos pegadas de porco-bravo que pudemos fotografar e marcas na terra que faz ao tentar procurar raízes. Assim que várias vezes deixamos restos de fruta para ver de qual gostava… e segundo o observado… adora as maças e cenouras. Também descobrimos uma processionária dos pinheiros com 16 exemplares, e alucinamos com o bem que guardam a fileira. E vimos uma mancheia de saraiva em diferentes dias, e neve… Nevou em Trasancos!! E o arco da velha, e choveu com frio, choveu com sol, choveu de lado, dende arriba, diríamos que incluso houve dias que choveu dende abaixo. Toda essa água permite-nos brincar no areeiro e construir canais, rios, lagoas… Porquê a água não sobe para ali? Porquê baixa se não quero? Andamos a procurar respostas!

Arco da velha em Semente Trasancos

Agora a terra está agradecer toda a água e observamos como florescem os salgueiros, os toxos, as macieiras… Nos prados também começaram a sair diferentes tipos de flores. A natureza está cheia de vida, e observa-la de perto faz-nos sentir parte dela. De feito algo dos animais se nos está a pegar, que ultimamente podemos transformar-nos em cães e cadelinhas!

E falando de transformações, o mês de fevereiro trousse algo que nos ocupou muito tempo e do que gostamos especialmente, o Entruido! Muitas de nós, já sabemos de peliqueiras, boteiros, merdeiras, generais… Assim que afundamos em personagens novas do Entruido galego: urso de Salcedo, maragato, procuramos cousas da patumada (umha personagem que muito medo dá!!), e incluso veio um choqueiro à escola. Deixou-nos o coração encolhido, as janelas cheias de farinha, e desenhos de personagens de Entruido com os que pudemos pintar e brincar. Apareceu também um meco que mandava trazer cousas estranhíssimas, incluso um dia viemos em pijama… Mas não nos vinha o sono!

Papamos doces feitos por nós mesmas, inventamos disfarces, maquilhamos as caras as umas às outras…. A imaginação não tem cancelas, e isso temo-lo bem claro

O projeto tempos em família segue em marcha, e véu a família de Lenda e Emma a botar unha mão para pôr a horta. O choqueiro disque era o tio de Iria e Maré, e a mãe de Teo e Martinho veio aprender-nos a tocar as colheres e botar unhas muinheiras… Encanta-nos e enriquece-nos que venham!

Ao fim do mês celebramos o dia da Rosalia de Castro, e isso conecta-nos com as raízes, com a língua, com a identidade, com o feminismo a través da sua vida, dos poemas e das canções…

E despedimo-nos até a videira crónica, deixando ressoar a palavra feminismo, pois a través dela começaremos a seguinte entrada. Saúdos lilás dende a Semente de Trasancos!!!